2 de out de 2007

ESPUTACHO A DOIS

Se você assiste a programas como Entre Linhas, Café Filosófico, Provocações e Ensaio, não pode perder de ler o Esputacho A Dois, do Blog Androceu. Trata-se, antes de tudo, de uma oportunidade de diálogo entre um incompreendido pela sociedade e um cara do blog que tem tempo de ouvi-lo, ou pelo menos fingir que se interessa pelo assunto bizarro que traz seu “entrevistado”.



E começamos com: Bruno de Pierro, na posição de incompreendido e Max Fischer, o cara que provoca!


Com a finalidade de se esclarecer um dos textos mais polêmicos e incompreendidos do Blog, “O Céu. E eu com isso?”, cujo autor, Bruno de Pierro, misturou, num diálogo curto e sem grandes pretensões estilísticas, um lunático perdido no espaço, uma atendente de sorveteria e o tão simbólico “sorvete de pêra”; o já aclamado membro-fundador do BlogAndroceu e filósofo pós-futurista, Max Fischer, curador da sério Esputacho a Dois, se reuniu com Pierro para uma conversa franca sobre seu texto.
Se os escritos estão ficando mais obscuros, nada melhor do que reunir um “expoente da filosofia de bar e do estádios”, como o próprio Fischer se autoproclama, com o criador de “O Céu...”, para, se não interpretarem de forma pontual o texto, ao menos colocar umas luzes que auxiliem a leitura. Sim, pois se há uma coisa que não se deve fazer é procurar a verdade em seus textos. “Por incrível que pareça, um sorvete de pêra é, empiricamente se falando, um objecto que, se por um lado tem seu caráter fálico inconscientemente arraigado, por outro se trata do símbolo de nossas utopias, ou mesmo de nossos desejos mais profundos. Todo mundo tem, no fundo, um sorvete de pêra dentro de si”, explica Pierro.
Veja na íntegra o bate papo, que foi realizada por meio do MSN (por isso, para se manter o clima cibernético, evitamos corrigir os pequenos erros de ortografia, bem como mantivemos as abreviações, neologismos e derivados):

Max diz:
e vc ainda me deve uma resposta viu: qual é a graça em ter o sorvete de pêra?
b_ diz:
po, max..achei q vc já tinha a resposta!
Max diz:
Eu sei o que ele significa, agora a pergunta: qual é a graça em lutar por algo que de antemão vc sabe que nunca irá existir? Ou será que pensei errado e a "sorvete" existe para o senhor Pierro?
b_ diz:
quem seria a "sorvete"? pq não existiria?
Max diz:
Lembra que a minha teoria era que o sorvete era a garota perfeita?
b_ diz:
perfeito, prossiga.
Max diz:
Citando um filme: Não existe a garota perfeita e sim mil garotas boas para você.
Max diz:
Logo não existe a "sorvete de pêra" e sim vários "sorvetes" que podem servir
b_ diz:
hum...certo..
b_ diz:
prossiga.
Max diz:
a pergunta seria: Será que o Bruno tirou a grande sorte de achar um sorvete de Pera entre tantos sabores possiveis?
b_ diz:
bem, vc sabe q sorvete de pêra é raro, certo?
Max diz:
cherto... assim como a garota perfeita... um quase-mito eu diria
b_ diz:
quantas coisas são feitas, por exemplo, com a laranja, com a uva, até com o limão!?
b_ diz:
é difícil vc encontrar manufaturados e industrializados à base de pêra.......bala, sorvete, chiclete..etc..etc..
Max diz:
várias, mas essas mesmas coisas são feitas com peras também
Max diz:
perae... eu já vi bala, sorvete e cliquete de pera
b_ diz:
então, naquele meu texto, a personagem, um homem, diz não saber se está no céu ou no inferno, mas logo constata: está na terra; prova disso é que está na sorveteria, que representa o seu mundo.
b_ diz:
sim, mas estou usando a pêra metaforicamente, comparando-a a uma iguaria rara hehe
Max diz:
a mulher pefeita ;-)
b_ diz:
enfim...e na "sorveteria", o rapaz exige que a atendente lhe dê o que ele quer...mas ele não pode ter isso....
b_ diz:
pode ser a mulher perfeita..mas ai fica a critério do leitor...sei lá..pode ser uma mulher, um carro, saúde, ver o Corintinhas campeão, passar no vestibular...etc...
Max diz:
e como ele não pode ter o que deseja irá colocar fogo no mundo?
b_ diz:
quando ele diz que ama a atendente, pode-se dizer que ele está, na verdade, amando seu próprio sofrimento ou, então, trata-se de uma pessoa que procura a própria dor, e que se coloca sempre numa posição inferior aos outros...
Max diz:
Modo pasquale on: Vai ser desinfeliz lá na zona sul
b_ diz:
irá destruir não o mundo, mas o "seu" mundo, ou seja, sua persona.
Max diz:
bruno e suas personagens suicidas e ironicas... ninguem merece...
b_ diz:
evidentemente, o rapaz está em conflito consigo mesmo, e não com aquilo que o cerca.
b_ diz:
mais alguma pergunta?.
Max diz:
quem matou Thais?
b_ diz:
ouvi falar que foi um tal de Olavo....
b_ diz:
que provavelmente estava lutando pelo seu sorvete de pêra...
b_ diz:
Viu, max...É mais ou menos como aquela "estória" do Matraga....
Max diz:
Essa peça não te fez nada bem
Max diz:
ou no final da história fez?
b_ diz:
não diria a peça..
b_ diz:
não, mas ainda gosto do Rosa..
Max diz:
Do de la rosa, piloto da f-1 *e bruno cai da cadeira*
b_ diz:
Não, do Guimarães mesmo ¬¬




**Esputacho a Dois: sempre um debate totalmente pertinente para sua família**






por: Bruno de Pierro e Max Fischer

6 comentários:

Gi Montemurro disse...

ai meu deus

Alan disse...

Diálogo profundo e pós-moderno. Ainda não o compreendi totalmente...
O mistério principal é: o que viria a ser um "cliquete de pera"?

mario disse...

Vale lembrar...

http://versaolegendada.blogspot.com

danielle disse...

ai meu deus (2)
hahahaha

j. caldeira disse...

a versatilidade do entrevistador é fantástica...

carlitos disse...

Não é por nada mas é interessante ler esse troço. Só não quero ser uma das cobaias de Bruno. Serei polido nos dialogos de msn agora