9 de out de 2007

Celebridades viram carros-chefe dos pequenos partidos

Viola e Ronaldo. O que esses dois ex-jogadores de futebol têm em comum? Muitas coisas, mas existe uma que você provavelmente não conhecia: Os dois serão candidatos a algum cargo público em 2008.
O motivo da candidatura de várias celebridades é que os partidos querem puxar votos para outros candidatos nem tão conhecidos entre o eleitorado.
A utilização de puxadores de voto não é um fenômeno recente. Paulo Maluf sempre foi um bom puxador de votos. Nas eleições de 2006, Maluf recebeu mais de 739 mil votos para deputado federal por São Paulo e ajudou o PP a eleger mais um punhado de parlamentares. Outro puxador famoso foi Enéas, que com 1,5 milhões de votos, conseguiu colocar mais 4 pessoas do seu PRONA no governo.
O PPS, por exemplo, escalou a apresentadora de TV e vereadora Soninha Francine para disputar a Prefeitura de São Paulo em 2008. O iatista Lars Grael, dono de duas medalhas olímpicas, deve ser o vice na chapa encabeçada por Soninha.
O time de famosos do PPS inclui também a cantora Gretchen, a musa do Carandiru, que deve disputar a Prefeitura de Itamaracá (PE). Por fim, ex-goleiro Ronaldo Giovanelli, que ficou conhecido pela expressão “EXPALMA RONALDO!!!”, deve sair candidato a vereador em São Paulo.
Mas não é só o PPS que irá se utilizar de famosos para conseguir votos nas próximas eleições. O diretório paulista do PTB tem uma lista extensa de famosos que pretendem conquistar uma das vagas na Câmara dos Vereadores de São Paulo. O apresentador Sérgio Mallandro, o estilista Ronaldo Esper, o ex-atacante do Corinthians Viola, o cantor Rafael Ilha, a modelo Renata Banhara, a ex-vedete e jurada Marly Marley e a apresentadora Cristina Rocha são os principais nomes do time de celebridades do PTB. Para a Câmara de Vereadores de Santos, o PTB terá Serginho Chulapa como candidato.
Mas a grande sensação do pleito deve ser a candidatura de Oscar Maroni Filho, proprietário da boate Bahamas, que irá disputar a prefeitura de São Paulo.
“Oba! Eu vou votar nele” comentou um colega de redação do blog ao ler o último parágrafo por cima do meu ombro.
Sabrina Sato, a conhecida japa do Pânico também foi convidada a participar desse time, mas recusou o convite alegando falta de tempo e também porque se decidisse participar do pleito, Sabrina precisaria ficar fora da TV por alguns meses.
O presidente do PPS, Roberto Freire, disse que acha um absurdo o preconceito de parte da população com a candidatura de "celebridades". "Percebo que há uma discriminação contra artistas. Há uma forma negativa de associar as candidaturas de famosos com suas opções pela vida pública."
Para Freire, não é a profissão do candidato que fará dele, se eleito, um melhor ou pior político. "Tem gente que não é artista nem celebridade, mas deu péssimos exemplos no exercício da atividade parlamentar."

Um comentário:

Gi Montemurro disse...

é... o buraco dessa questão é BEM mais embaixo...
q deprê