29 de out de 2007

coisa boba que mata o tempo.

Já passou mais de uma semana e...Já se passou mais de um mês. E...Já completou um ano? Não, não. Nossa! E tudo muda tão rápido...


Sabe, a gente nunca dá valor a nada. Dizemos, de forma banal, que ainda bem que eu tenho meus pais, que ainda bem que posso estudar, que, graças a deus, tenho uma casa pra morar e que é pecado isso ou aquilo.

Certo, certo...

Mas eu não tenho mais você.

E daí? O que faço? Partir pra outras vias? Conhecer novas mulheres que, como se entrassem na minha mente, pudessem apagar você da minha memória?

Você é grande! E você é maior que tudo. Você não sai tão fácil de mim; já estou totalmente impregnado de sua voz nos meus ouvidos, de seu cheiro e de seu gosto em meus sentidos...Agora, estou diante da janela. Você passa. Mas não é você. E você acena. Mas poderia ser você.

Certo, certo...

5 comentários:

mario disse...

Boa, Bruno!

Max disse...

E a pergunta segue: Será Ela uma benção ou uma maldição?

j. caldeira disse...

gostei do texto!

Gi Montemurro disse...

ótimo, mesmo.

=*

carlitos disse...

Ah Bruno, bizarro. mas o androceu é um meio de comunicação livre, então tudo bem.