10 de ago de 2008

Uma decisão

Voltando para casa, decidiu que, assim que chegasse, iria correndo para seu quarto e lá ficaria trancado por um bom tempo.
_ Uma semana ou mais! - falava para si mesmo.
A madrugada lhe exigia uma aventura. O frio impedia qualquer ato de revolta. E tudo o que bebera desde tarde não era suficiente para se fazer calar os gritos que o atormentavam. Não conseguia entender os motivos de sua paralisia diante dos fatos e repetia tropeçando nos buracos:
_ Mas simplesmente as coisas são assim! Tudo caminha para isso! Então, por que nada acontece assim?
O primeiro encontro, os olhares, as descobertas. Rir daquilo que não tem graça. Era isso! Sentia falta de tudo o que acompanha um casal, ou seja, das coisas efêmeras e passageiras, bobas e superficiais, mas que, regidas pelo amor, tornam-se marcantes. Seus olhos haviam se acostumado com as cores das paredes daquela casa que visitava toda semana. Seus ouvidos não se importavam com as obras ao lado. Não precisava abrir o jornal para se sentir no mundo.
_ Quando se perde o rumo, nem mesmo o caminho de que se tanto precisa é importante.
Depende. Primeiro se perguntou: quero voltar mesmo para casa? Depois, optou pela saída: quero a liberdade de não poder sofrer jamais!
Uma semana no quarto. Ou algo melhor? Dispensar aquela madrugada? Como quem o dispensara havia pouco tempo? Não! Nunca!
O céu estava tornando-se vinho, quando, lá de cima, ele se atirou. Antes que passasse mal, novamente, e vomitasse tudo.
Sujeira por sujeira, melhor fazer aquela que nos livra de uma próxima atitude igualmente nojenta.

5 comentários:

Max disse...

Proponho que para atender a nova tedencia de previsões que toma de assalto com mão armada o jornalismo que a PUC contrate Mãe Dina como professora da diciplina de "Calculos Hiper Ultra Teoricos Estimativos"

bruno disse...

o legal é q o max comentou o post de cima, do luiz, aqui no meu post.


luiz, há um comentário pra vc aqui!

Luiz Henrique Mendes disse...

Hahahah! E ele me dizendo que havia comentado - pensei que minha internet estivesse com efeito retardado! Que coisa, Max!

Zine Qua Non disse...

Sujeira por sujeira, melhor escrever e colocar tudo num blog.
Ou então colocar no assoalho!

bruno disse...

paulinha fazendo uso oportuno de seu faro marketeiro...hahahaha..gostei!