15 de jan de 2009

Perguntinha

Colegas, ontem dei uma passada em alguns sites de esporte e vi que o Corinthians está quase assinando um patrocínio com a Caixa Econômica Federal. O valor especulado é de 96 milhões de reais em um contrato de três anos, 32 milhas por ano. Curiosamente, no caderno de esportes da Folha de hoje, além da já supracitada notícia, a coluna Painel FC trazia em destaque que dirigentes corintianos e palmeirenses estão enciumados com o patrocínio (quase vitalício) da Petrobras com o Flamengo e do récem acordo da Eletrobras com o Vasco. No Parque São Jorge a reclamação é de que o presidente Lula, que sempre se declarou torcedor fervoroso do time e que cobra bons resultados, nunca ajudou a arranjar uma boiada dessas. No Palestra, alguns dirigentes consideram bobagem a proximidade da alta cúpula do clube com o governador José Serra, mais ou menos pelo mesma razão, e ainda levando em conta que foi o Sérgio Cabral que apresentou a Eletrobras ao Vasco.

Aí eu levanto a bola pra vocês, gente que entende de futebol, gente que entende de economia, e gente que não entende nada de merda nenhuma: o que vocês acham desse papo de estatal bancar time de futebol?

3 comentários:

mario disse...

Eu acho que depende. Se eu fosse flamenguista, vascaíno ou coisa assim, ia achar que tá mais que certo. Mas, como eu odeio carioca, acho isso uma merda mas a cara do RJ, o retrato da esculhambação daquela baderna que se considera unidade federativa.

Max disse...

Eu não sei quem criou a frase, mas cada caso é um caso.
No caso Flamengo/Vasco eu não consigo ver o motivo que leva a Petrobras e Eletrobras a patrocinarem as duas agremiações. Na verdade a Petrobras tem motivo hoje para patrocinar alguem, mas por muitos anos ela praticamente teve o monopolio em sua area no Brasil. A Eletrobras já teve motivos para estampar sua marca em times, mas nunca fez e somente hoje onde não vejo necessidade de expor a marca ela fecha o patrocionio com o Vasco.

No caso Corinthians a história é um pouco diferente. A Caixa Econômica Federal embora seja uma empresa com capital público luta por clientes com outras empresas do ramo privado, o que por si só "permite" que ela patrocine algumas coisas para expor sua marca.

Contudo eu não gosto da ideia de empresas públicas patrocinarem times de futebol em si, que na visão capitalista são empresas privadas. Apoiar festivais musicais, esportes amadoras e outras ativades despostivas é um marketing menor, mas pelo menos não há essa questão de dinheiro público em algo privado.

Alan disse...

Enquanto isso...
A LG renovou com o São Paulo.
Acho que só empresas privadas podem patrocinar times de futebol.
O governo pode ajudar de outras maneiras. Acho que é injusto que algumas estatais patrocinem e beneficiem um número limitado de clubes.