4 de dez de 2010

Conspiração?

Conhecidos por saberem vender muito bem a própria imagem, os Beatles brincaram com teorias da conspiração melhor do que qualquer outra banda do mundo. Músicas que deveriam ser ouvidas de trás para frente e apologia às drogas são só algumas delas.

Mas talvez a mais divertida e que garantiu a venda de muitos LPs foi o boato de que Paul McCartney teria morrido em um acidente de carro e quem os fãs idolatravam agora não passava de um sósia. Diversas músicas também possuem letras que fazem referência à morte de Paul.
 

Rubber Soul (1965)
Os quatro rapazes olham para baixo, como se estivessem observando uma sepultura, que seria de Paul.

Revolver (1966)
Pela primeira vez, uma capa não é uma foto, mas um desenho, para que ninguém desconfiasse do sósia. Além disso, há uma mão aberta sobre a cabeça de Paul, forma como os mortos são abençoados.

Sgt. Peppers Lonely Heart’s Club Band (1967)
A capa simbolizaria o funeral de Paul. Um dos arranjos de flores (de cor amarela) forma o desenho de um baixo para canhoto, com apenas três cordas, indicando que restariam apenas três Beatles. Há também uma mão aberta sobre a cabeça de Paul e uma menina segura um carrinho de brinquedo, que seria do modelo do veículo que teria matado o músico. Parece que há um “o” escrito após o nome da banda, formando “be at Leso”, local onde o corpo de Paul estaria enterrado. Se colocarmos um espelho no meio da palavra “hearts” no bumbo da bateria, forma-se “lonely he die”. Além disso, na foto da contracapa, John, George e Ringo olham para frente e Paul está de costas.

Magical Mystery Tour (1967)
Três vestem branco e apenas um preto. No vinil original, havia uma foto dos quatro vestindo terno branco com uma flor na lapela. A de todos era vermelha, menos de Paul, que era preta. Em todas as fotos, o baixista está descalço e os mortos costumam ser enterrados sem sapatos. Em outra foto, na bateria de Ringo está escrito “Love 3 Beatles”, também indicando que apenas três estavam vivos.

The White Álbum (1968)
Há uma foto no encarte de Paul em uma banheira com a cabeça para fora, dando a impressão de que estava decapitado. A cicatriz no rosto dele seria na verdade de uma cirurgia plástica que seu sósia, Billy Shears, teria feito para ficar ainda mais parecido com ele.

Yellow Submarine (1969)
O submarino seria um caixão enterrado sob a montanha. Também há uma mão aberta sobre a cabeça de Paul.

Abbey Road (1969)
Paul está com o passo trocado em relação aos outros integrantes. Ele também está descalço, de olhos fechados e segurando um cigarro com a mão direita, mas ele é canhoto, o que indicaria uma falha de seu sósia. A placa do Fusca branco é LMW 28IF, que poderia significar Linda McCartney Weeps ou Widdow e 28 if alive. Ainda, as vestes de cada beatle indicariam uma função diferente: padre, agente funerário, morto e coveiro.

Let It Be (1970)
Paul usa uma barba na foto da capa, que serviria para esconder a tal cicatriz do rosto de seu sósia.

Paul Is Alive (1993)
Em seu CD solo, Paul afirma que está vivo em uma foto em Abbey Road: ele usa botas, segura a coleira do cachorro com a mão esquerda, o carro funerário não está mais lá e a placa do Fusca indica: 50IS, idade dele na época.

Leia mais no Especial Paul


Tudo bem in the rain?
Arrependa-me mucho... ou não
Não foi ao show por que não quis. E não me arrependo disso.
Paul McCartney: Show? Não, experiência de vida
Não são Beatles
Sobre os outros três

2 comentários:

carlitos disse...

Muitas dessas lendas eu já havia ouvido ou lido em alguns lugares, mas a maioria eu realmente nunca havia parado para pensar. as que mais me surpreenderam foram do sgt peppers. os caras tinham imaginação fértil até pra deixar essas pulgas atrás das orelhas. muito bom, dé!

Dé C. disse...

Valeu, Carlos. Essa é uma das minhas histórias preferidas dos Beatles. Pena que quando os LPs viraram CDs, algumas imagens se perderam...