12 de abr de 2010

Uma manha musical em Londres

Do correspondente especial

Domingo de manha. Com certeza nesse horario voce esta dormindo, indo dormir depois de voltar na balada ou xingando deus e o mundo por mais um plantao jornalistico em alguma redacao com o ventilador ligado no ultima potencia. Porem, contudo, todavia e outras palavras, eu nao estava dormindo, indo dormir ou xingando deus e o mundo. Ta, admito, estava xingando, mas nao deus e sim a agua fria do chuveiro.

O sol comecava a nascer la longe e acordava os mendigos enquanto eu peguei o N47 (esse N ai significa night ta gente) sentido Canada Water. E chegando la a minha primeira surpresa do dia: estacao fechada pela proxima meia-hora. O motivo eh que o metro aqui so comeca a funcionar depois das sete e eu precisava estar na zona norte de Londres em meia hora!
A solucao foi esperar, pegar a Jubbiline, descer em Waterloo e pegar a linha preta sentido Camden Town e tirar um cochilo dentro do Tube.
Toda essa epopeia matinal por uma razao: minha avo esta na cidade e iria levar ela ao concerto no Royal Albert Hall, a maior casa de shows de London. Isso e, eu tentaria, pois precisava imprimir os ingressos comprados na noite anterior e eu nao tinha a menor ideia aonde iria imprimir eles. Nao sei se quantos de voces ja tentaram isso, mas tente achar algum lugar com internet e impressora aberta num domingo frio do outro lado do mundo e voce tera uma ideia da minha trap matinal.
A fe (ou dinamite) movem montanhas, logo um sorrisso e uma camisa dizendo Brasil podem fazer um barbeiro ceder o seu CPU e impressora, certo? Pode parecer estranho, mas foi como eu consegui imprimir os ingressos perto da estacao de tube que teria que descer.
Depois de pegar a minha avo e comer o primeiro cafe que presta em quase tres semanas de reino unido ( british breakfast rocks!) pegamos o metro e iamos ate South alguma coisa. Esse iamos ai nao esta ai a toa, pois o metro quebrou no meu do caminho e tivemos que ir de cab (vulgo taxi) ate la.
Algumas linhas sobre o lugar: vale a pena a visita, nem que seja para fazer o tour do lugar, que custa 14 libras. No meu caso iria ver o show matinal pagando 10 pounds por ingresso. So que para a minha decpecao ( e da minha vo) o show nao foi na sala de concertos, mas sim numa sala especial com cafe da manha incluso (mais comida!!!).
Quando eu comprei o ingresso pensei que seria um show de musica classica, enfim aquela coisa que 95% do Androceu nao gosta, mas eu sinceramente gosto. So que a cilada eh mais embaixo, pois o que eu ouvi pela proxima hora e meia foi uma mistura de musica classica, musica moderna e humor ingles num quadro chamado "bedstorys". Enfim, foi aquele show que eu odeio, o Mario odeia, o Johnnie odeia, o Bruno deve ter gostado e a Paulinha adoraria e vai me xingar nos comentarios abaixo. Acho que foi claro como foi o show?
Porem, o mais legal nao foi o show em si, mas sim um pequeno piano vermelho que estava do lado e nao foi usado. Depois da apresentacao foi la ver, e adivinha quem tocou naquele piano ha alguns anos atras no Reino Unido e foi alvo de uma critica de um show do Gustavo ha alguns meses atras?



Yeah baby! Esse androceutico viu este piano vermelho que foi tocado por nada menos que Elton Jonh.Infelizmente eu nao estava com a minha camara a mao, mas no proximo concerto que eu for (eles fazem o mesmo show na sexta de manha de graca) eu prometo que tiro umas fotinhos.

E nao percam, na proxima coluna, duas ou tres linhas sobre a terra do uisque e do monstro nao japones mais conhecido na America: Escocia.

3 comentários:

Alan disse...

Max, gostaríamos de ver mais fotos suas no Flickr...

Bruno de Pierro disse...

correção, Alan: mais fotos de escocesas.

Alan disse...

Corrigindo:
Max, gostaríamos de ver mais fotos que você tirou no Flickr...
hahahahaha