7 de nov de 2009

Ficha de RH: Paula Cabral Gomes

Breve perfil:

Paula Cabral Gomes nasceu em 5 de fevereiro de 1986. Pequena em tamanho, mas grande em coração (momento clichê: on), a moça já está com um pé fora da faculdade de Jornalismo com um TCC sobre um assunto delicioso: restaurantes antigos. Conquistou muito dentro da PUC, incluindo o coração de vários colegas de classe, por seu empenho, animação e por sempre dar atenção aos que precisam de uma conversa.

(Escrito por Débora Cestare)

Ficha técnica

Nome: Paula Cabral Gomes
Apelido: Paulinha, Paulete (em francês), Paulitcha, Pauleta, Paulita (em espanhol)
Idade: 23 anos, 8 meses, 25 dias e algumas horas
Nascimento: 05/02/1986 (uma semana antes do carnaval, não que isso interesse – sou aquariana de verdade)
Time: Palestra Itália, Palmeiras, Alviverde Imponente
Som: Rock ‘n’ Roll, Pop, Eletrônica, Brasileira (ex: Los Hermanos, Maria Rita, Maysa etc.), de tudo um pouco menos Calypso, Tecno Brega e Funk
Animais: cachorrinhos lindos, pequenos e pentelhos (tipo eu – sim, tenho uma pinscher chamada Atena)
Trabalho: Estou atrás de um que eu realmente ame
Drogas: Até que ver novela de vez em quando dá um barato
Um medo: Palhaços e Papais Noéis
Uma alegria: Conseguir o que eu quero
Um homem: Johnny Depp
Uma mulher: Natalie Portman
Um sonho: Ser Paula Cabral Gomes até morrer
PUC: Amor e ódio
Jornalismo: Amor e ódio
Androceu: Um orgulho
Uma memória: RAM (hahaha, na verdade sou um peixe de aquário)
Uma frase: “Keep on with the force, don’t stop ‘til get enough” (Michael Jackson)
Perfume: Kriska ou qualquer outro com essência de baunilha
Bebida: Chá mate natural
Lugar favorito: Minha cama
Posição favorita: Atacante
Religião: uma inventada por mim, sou da Igreja das Libélulas soltas na mente

Redação de admissão:

Por que quero ser do Androceu?

Desde meus cinco anos de idade, ando de bicicleta. Antes tinha rodinha, mas agora já sei assoviar sozinha. Nunca foi fácil ser baixinha, ainda mais quando se precisa falar alto para se fazer ser entendida. Adoro tubaína e cinema então, nem se fala. É sempre bom saber que tem dias que a noite é foda e que a qualquer momento posso tomar um sorvete de coco em algum lugar. Eu costumava cantar quando tomava banho, porém meus óculos são vermelhos e o cheiro é de baunilha. O Twitter é uma ferramenta incrível quando bem usada, por meio dele até Deus se comunica com seus seguidores. Mas não acredito nisso. Ter fanzine é o que há! Sou alviverde imponente e amo de paixão a feirinha da Liberdade, além de ter o sonho de andar de patins no Ibirapuera todos os finais de semana. Não tenho vícios e fui criada pelos meus avôs até os seis anos. Minha maior qualidade é escrever coisas que fazem sentido e mandar e-mails numa velocidade nunca dantes vista. Tenho a sensação de ter vivido no reino de Arthur, de ter sido uma sacerdotisa de Avalon, mas isso durará até o livro acabar, depois posso me transformar numa elfa que conhece Smeagol ou numa bruxinha de sangue-ruim filha de trouxas. Ainda não aprendi a jogar videogame. Guitar Hero só no easy e perco jogando tênis no Wii com minha prima de sete anos. Lorem. Manter quatro blogs não é fácil, por isso que três estão abandonados, oras. Alguns dizem que tenho login em todas as coisas que a internet oferece, mas é mentira. Não me cadastrei para receber o newsletter da Igreja Universal do Reino de Deus. Aliás, queria abrir uma igreja para não pagar imposto e essas coisas. Sinto falta do Los Hermanos e queria ver um show do Silverchair e do Slipknot. Ainda bem que os Backstreet Boys e o Damien Rice já vieram para o Brasil. Graças aos deuses! Quem sabe um dia não aprenda latim e possa conversar com aqueles que morreram. Posso solicitar a ajuda de Chico Xavier (ah, ele já se foi!) e da Zíbia Gaspareto. Melhor falar com o Paulo Coelho, ele que manja. Ipsum. Hoje é dia de faxina, mas nunca limpo direito. A poeira é mais forte que o ser humano e sempre me vence. As pombas também dominarão o mundo, junto com as canetas BIC. O Michael Jackson morreu e todos já sabem disso. Beat it é a melhor... Você sabia que os elefantes rolam na lama para se refrescar? Se eu fizesse isso ninguém ficaria muito tempo ao meu lado, por mais que eu estivesse fresca e sem calor. O Gineceu não deu certo porque muita mulher junta não rola. Vira caso de vida ou morte, por mais que ninguém tenha matado ninguém ainda. Pelo menos na PUC-SP não, na USP é diferente. To falando de matar amigos e não os pais, é bom reforçar. “Nem toda feiticeira é corcunda / Nem toda brasileira é bunda / Meu peito não é de silicone / Sou mais macho que muito homem”. Deu vontade de cantar essa música da Maria Rita. Chama-se Pagu! Falando nisso, tem uma exposição em algum lugar sobre ela e o Oswald. Não posso perder! Na verdade, posso, mas se eu falar assim, quando eu perceber que acabou ficarei chateada. Só arranjei mais um motivo para me odiar. Não mandei vídeo para o CQC. Minhas piadinhas são “boas” demais e eu não tenho jeito para stand-up comediante. Sempre fico “ocupada” no MSN para não ficar subindo aquelas janelinhas chatas e fazendo aquele barulhinho irritante. O do ICQ era melhor. Poxa, esqueci o número do meu. Será que alguém ainda usa? Amizade é o que há de melhor nessa vida! Não preciso pagar a fatura no final do mês. Até que escrever num estilo semi Saramago foi divertido. Parágrafo para quê? Melhor ver como andam os restaurantes mais antigos de São Paulo. Eita pega! O sapo não lava o pé! Não lava porque não quer! Mas se ele mora lá na lagoa e não lava o pé porque não quer, tem um chulé! Amet. Odeio o politicamente correto. Ninguém é assim! Eu sou uma fraude! Falo inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, japonês, chinês, miguxês fluente e um pouquinho da língua dos anjos e das fadas. Sei mexer no Windows e Paint, porém não jogo mais paciência. Sou aquariana e ansiosa para caramba e me dou bem com meu perfeccionismo. Roxo é lindo! Acho que passei dos 140 caracteres. Ups... Minha mãe sempre quis que eu fosse alguém na vida, que me reconhecessem na rua, me chamassem pelo nome, e minha oportunidade chegou. Chama eu, Androceu!
Beijomeliga
Paulinha Cabral Gomes

3 comentários:

Carlitos® disse...

Paulinha, concordamos plenamente em um dos aspectos:

Uma mulher: Natalie Portman

João Paulo Caldeira disse...

esse edital de novas vagas tá mais parecendo programa de cotas pra palestrinos...

Max disse...

Sabe como é Jonny. Como o Palestra deve perder o Brasileirão, já estamos dando uma alegria a mais para eles não ficarem tão tristinhos quando ver o Super-Mengo ou Galo ou Bambi levantar a taça.