3 de jun de 2008

O automobilismo também tem suas pizzas...

Na manhã de hoje, o presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Max Mosley, que está no cargo há 15 anos, recebeu um voto de confiança da assembléia geral da entidade que presidia em Paris e segue no cargo até o fim de 2009. A votação, que foi secreta, acabou com 103 votos a favor, 55 contra e contou com 7 abstinências e 4 nulos. A CBA representou o Brasil.
O motivo da votação foi a denúncia feita pelo tablóide inglês “News of the Word” que publicou fotos e um vídeo de uma orgia, onde Mosley era acompanhado por 5 mulheres trajando roupas de oficiais nazistas ou de prisioneiras de um campo de extermínio.
Acuado pelas principais montadoras e auto-clubes do mundo a pedir demissão, Mosley não teve escolha a não ser marcar uma assembléia geral para pedir um voto de confiança. Conseguiu, mas não poderá cantar vitória, pois só atingiu a vitória graças a votação de países sem tradição no automobilismo. As principais forças do motor já mostraram que continuam contra a presença de Mosley na presidência.
A Adec, o maior moto-clube alemão e da Europa, já comunicou que não irá participar de mais nenhuma atividade da FIA até o fim do mandato de Mosley. A AAA, maior auto-clube do mundo localizados nos E.U.A, declarou que o dia de hoje é “decepcionante”. Na minha visão, a saída de Mosley seria benéfica para o automobilismo. Não porque ele é chegado numa alemã trajando couro e com um chicote na mão, mas sim porque era a chance de derrubar um dos piores mandatários que já ocupou a presidência da FIA que vai se eternizando no poder, assim como alguns dirigentes brasileiros, dar lugar a uma nova cabeça. Era a chance de escrever algo certo por linhas tortas...
E o que isso muda na vida de quem curte o seu automobilismo nas manhãs de domingo, também chamado de F-1? Tudo.
A principal delas é que as principais equipes e Bernie, que literalmente comanda o Circo, pediram publicamente a cabeça de Mosley para os 4 ventos e quem quisesse ouvir. A última vez que um presidente da FIA brigava com o “presidente” da F-1 foi quando Bernie lutou firmemente contra Baltrese em fins dos anos 70 e começo dos anos 80. E não é preciso lembrar que não foi uma época muito boa para a F-1, que rolou até um boicote da McLaren e Willians ao GP de Mônaco de 1982. Dias negros devem pairar na categoria...

3 comentários:

Fábio disse...

Pois é...

O auto-clube da Espanha ainda não decidiu o que fazer, mas parece que irá seguir o auto-clube alemão e se desligar da FIA até o fim do mandato do Mosley.

Fábio disse...

Pois é...

O auto-clube da Espanha ainda não decidiu o que fazer, mas parece que irá seguir o auto-clube alemão e se desligar da FIA até o fim do mandato do Mosley.

Max disse...

Dessa eu não sabia... mas eu vou esperar até o GP da Hungria para ver como as coisas ficarão na F-1. Até lá acho que a história vai se repetir. Uma pena, pois o campeonato melhorou razoavelmente nos últimos 3 anos.