26 de abr de 2008

SP Arte acaba amanhã




Acabo de voltar da quarta edição do SP Arte, feira internacional que reúne 67 galerias e 2400 obras de arte. São estandes de diversas galerias de arte de várias regiões do Brasil, compartilhando espaço – e espaço caro! Segundo Fábio Cypriano, a SP Arte está entre as feiras mais caras do mundo. “Para participar, as galerias pagam R$ 818 por m2, quase no patamar dos R$ 852 da suíça Art Basel, dos R$ 780 da inglesa Frieze e bem acima da Art Forum Berlin (R$ 497)” – com galerias de outras partes do mundo, como a Jorge Mara-La Ruche, da Argentina.

Diferente do Campus Party, o SP Arte soube aproveitar bem o espaço da Bienal. É arte que não acaba mais. Tem até no banheiro, onde havia, colada no espelho, uma reprodução em adesivo de um trabalho do artista Tom Lisboa, sobre polaroides. Você devia olhar para a figura e imaginar-se na foto, imaginando, também, o fundo, a paisagem.

Mas não quero ficar aqui falando e falando (escrevendo!) sobre a feira em si. O evento, bem...ele está lá, até amanhã (27/04). Você pode ir lá conferir.
Gostaria de dizer citar uns nomes que me chamaram a atenção – a maioria eu não conhecia:

Antonio Peticov
Antonio Henrique Amaral
Eduardo Verderame
Jeff Soto
Fabiano Gomper
Michael Wesely
Guilermo Martín Bermigo
Tom Lisboa
Tuca Reines
Ruth Gómez
Nelson Leimer
Jean Michael Basquiat
Wesley Duke Lee


Ao longo da semana, colocarei aqui imagens de obras de alguns desses artistas, com devidos comentários.
Mas fora isso, afirmo que as verdadeiras masterpieces do evento foram as mulheres lá presentes.





*Figura: quadro de Antonio Peticov

2 comentários:

Akinol disse...

See Please Here

Zine Qua Non disse...

Mulheres, mulheres...
Digamos que perdi mais um super evento paulistano! Que beleza!
Essa vida de proletária não dá certo. Quero mais liberdade!

Beijos
e muita arte para todos...