7 de mar de 2008

"Paguei para tocar no Dylan", diz invasora

FOLHA - 7 de março de 2008


DA REPORTAGEM LOCAL

Não sabendo que era impossível, ela foi lá e fez. Laura Artioli, 21, aluna de geografia da PUC-SP, chegou a seu "inacessível" ídolo Bob Dylan na marra: subiu duas vezes ao palco em que o cantor se apresentou, anteontem, e chegou a tocar no ídolo antes de ser retirada do Via Funchal com seu namorado e companheiro de invasão, Gregório Gananian.
À medida que iam sendo arrastados para fora da casa de show, pouco antes de Dylan sair para o bis, os dois tentavam argumentar com os seguranças. "Era o meu sonho, se fosse o seu, você ia fazer a mesma coisa", dizia Laura.
A garota invadiu o palco logo na primeira música do show. Surpreendentemente, não foi retirada da casa de imediato e voltou à carga durante o clássico "Like a Rolling Stone".
"Na primeira vez, eu encostei nele. Na segunda, quando ia encostar, me tiraram. Você viu minha saída? Foi um balé", disse.
O casal não escondia que a ação havia sido premeditada. "É lógico, o que eu ia fazer, ficar sentada na cadeirinha, batendo palminha quando acabasse cada música? Paguei R$ 500 para tocar no Bob Dylan", disse Laura.
Também estava evidente que as ações haviam sido catalisadas pela bebida. "Ele está bêbado, moço", disse Laura sobre Gananian, à medida que este tentava explicar seu feito.

Confusão no início
O início pontual do show pegou o público de surpresa. Muita gente ainda estava chegando e procurando seus lugares quando as luzes se apagaram, o que criou confusão nos corredores de acesso.
Durante as quatro primeiras músicas, havia muita gente de pé, o que prejudicou a visão e gerou reclamações de quem já estava sentado, principalmente nas fileiras próximas aos corredores.
Xingamentos e berros de "Senta!" foram ficando mais contundentes -o ápice, ironicamente, foi em "Masters of War"-, mas até a quinta canção os atendentes conseguiram levar a platéia a seus lugares e o foco voltou ao palco. (MARCO AURÉLIO CANÔNICO)

Nenhum comentário: