12 de nov de 2009

Relações do ontem e do hoje


Por Carlos Eduardo Massarico

Certamente a empreitada de Antonio Hohlfeldt em fazer um parâmetro histórico da enciclopédia e de suas origens necessita de uma contextualização com aquilo que de mais contemporâneo existe nessa busca do ser humano pelo registro de todo o conhecimento que acumulou durante sua História. Como ponto inicial de minha análise sobre essa relação entre a enciclopédia e a wikipedia, que se autoconsidera como a enciclopédia livre, coloco algo pessoal que jamais deixei de acreditar: ambas são instintamente distintas, desde seus marcos sociais às intenções que procuravam atingir em suas fundações.

Entendo que a enciclopédia francesa, dirigida por d'Alembert e Diderot, teve como objetivo marcar a evolução tecnológica e biológica conquistada pela humanidade, porém de um determinado ponto de vista pré-definido. Apenas certa parcela desse conhecimento é colocado como importante à uma empreitada tão audaciosa.

Para exemplificar essa situação, lembro que as ciências classificadas para compor esse projeto foram, inicialmente, filtradas por um crivo muito parcial, no qual houve um europocentrismo muito forte. As culturas classificadas como válidas para esse projeto foram, boa parte deles, vindas da sociedade europeia.

Todos nós sabemos que milhares de outras culturas das mais diversas sociedades tiveram e têm grande importância nesse aglomerado de conhecimento conquistado pela Humanidade e isso não se transfigurou na enciclopédia. Antonio Hohlfeldt não ignora esse fato e fala sobre a influência da Igreja Católica em sobrepôr interesses próprios à perspectiva dos valores considerados importantes ou não.

A ausência desse conhecimento dos povos da América Pré-colombiana é um dos mais fortes exemplos disso. Já a enciclopédia hoje mais popular daqueles que têm acesso à internet, a Wikipedia, ao menos não demonstra exercer um determinante crivo sobre seu conteúdo. Claro, mesmo que em um contexto distinto, no qual se aparenta uma liberdade de expressão muito maior que a existente no Século XVIII, esse aspecto não pode, ao meu ver, ser ignorado.

Outro ponto fundamental que distoa a Enciclopédia dessa reunião de informações compartilhadas pela Wikipedia, se define na participação social na construção do conhecimento. Nos tempos da enciclopédia colocada no papel, era muito evidente uma certa imposição do que seria certo ou errado, uma espécie de manequeísmo do conhecimento, algo que a Wikipedia não transforma em realidade. Pelo menos é o que se espera dessa interatividade.

Ao abrir espaço a qualquer um de alterar suas informações (e ser beneficiada por seu formato incompleto, ou seja, um caráter de não completude pela internet), não fica configurada essa imposição do correto. Uma frase de Darnton se encaixa bem nesse contexto, utilizada por Hohlfeldt em sua análise: Um filósofo que tentasse remarcar as fronteiras do mundo do conhecimento, mexeria com o tabu.

Dessa forma, discordo daqueles que consideram a permissidade da interatividade entre o processo de construção do conhecimento e as pessoas, através da internet no caso da Wikipedia, como um ponto negativo, que teoricamente distorceria as verdades de fatos concretos, afinal se a própria ideia de enciclopédia é o registro do conhecimento humano e sabe-se que não existe um limite para as descobertas da Humanidade, logo não deve existir parâmetros do que está certo ou errado nas informações divulgadas.

O que existe é a involuntária (ou não) distorção dos fatos já tidos como finalizados quanto ao conhecimento, como obras literárias, filosóficas ou até mesmo algumas descobertas quanto à ciência ou biologia, porém seria ingênuo afirmar que esses erros possam simplesmente não existir nas enciclopédias tradicionais, afinal seus processos de concretização (e não de construção), são sim semelhantes.

Se entendermos essas mediações (enciclopédia e wikipedia) como construções do ser humano, devemos assumir que pontos de vista foram incorporados em ambas. Não deve existir uma dicotomia de valores para julgar esses processos de alcance do conhecimento, ao menos nesse parâmetro, pois ambas possuem uma enorme carga de subjetividade em seus conteúdos.

Ao meu ver entendo que, em síntese, a enciclopédia contemporânea, a wikipedia, possui um espaço de mudança de valores muito mais importante para um aspecto de revisão do conhecimento humano que as enciclopédias tradicionais – posto que defendo a ideia de que as descobertas da Humanidades não podem ser colocadas como finalizadas. Também vejo que a participação das mais diversas culturas e de suas respectivas descobertas encontra um espaço mais livre em uma esfera como a wikipedia frente às enciclopédias, que definem seu ponto de vista desde os seus primeiros passos de construção e não no momento de sua concretização.

4 comentários:

Carlitos® disse...

PARA QUALQUER ALMA DE BOM CORAÇÃO, NÃO TENHO A SENHA DE ACESSO AO BLOG DO URBANO, POSTEM ISSO AÍ PRA MIM.

Luiz Henrique Mendes disse...

PUBLICADO!

Anônimo disse...

Nice post and this fill someone in on helped me alot in my college assignement. Thank you as your information.

Anônimo disse...

Brim over I to but I think the post should secure more info then it has.