29 de ago de 2008

Resposta a Alan: Público gay descobre a zona leste (mas...)

(mas... esses bairros estão longe de desbancar higienópolis)

Dia 6 de julho acontece em Itaquera a terceira edição da Parada da zona leste. A manifestação será realizada no bairro de Itaquera, com concentração na estação do Metrô Corinthians-Itaquera. Além, é claro, de todo o teor de luta pela causa GLS, a festa e, de certo modo, brincadeiras que envolvem a celebração. Há muito negócio envolvendo a data.A Parada Gay que ocorreu recentemente na Avenida Paulista é o maior evento desse tipo no mundo e a segunda arrecadação em turismo da cidade. Na zona leste, guardadas as devidas proporções, deve mexer também positivamente com o comércio local.Afora isso, a região, nos últimos anos, foi “descoberta” pelo público homossexual. Empreendimentos lançadas no Tatuapé e Anália Franco atraem consumidor gay em razão da localização, infra-estrutura, qualidade, facilidades e em quase todos os nichos. Por terem muito perto todas as facilidades como prédios comerciais, shoppings, estrutura de lazer e esportes e acesso às principais regiões da cidade, esses bairros acabaram sendo eleitos por esse público. Estão longe de desbancar bairros como Vila Buarque e Higienópolis, mais centrais e preferido desse comprador, mas o consumidor gay já começa a ser visto como importante em um lançamento.De alto poder aquisitivo, culto e seletivo são sinônimos muito empregados pelo mercado para esses compradores. E os bairros próximos também já sentem os reflexos, como Vila Formosa e Penha.Até mesmo por causa disso, a zona leste vive uma interessante expansão de serviços e lugares voltados para o público GLS, principalmente na área de entretenimento, com o sucesso de points como bares em bairros como São Mateus e o próprio Tatuapé. Outro ponto de convivência da região é o shopping Metrô Tatuapé, em que um dia da semana é reservado para o encontro do que pode ser chamada de uma tribo.

3 comentários:

Alan disse...

"zona leste vive uma interessante expansão de serviços e lugares voltados para o público GLS".

Zona leste é território corintiano, como comprovou o caderno especial DNA paulistano, da Folha. E depois falam que são paulino é bambi...

Max disse...

Em números absolutos não duvido que haja mais GLBT corinthianos que o equivalente tricolor, afinal dentro de uma massa de 30 milhões deve ter sua parcela alegre que sozinha deve superar torcida de muito time espalhada por esse Brasil.

Só que se formos observar em números relativos, a popular porcentagem, aí não tem pra ningúem: É SPFC que lidera a competição com larga vantagem.

Alan disse...

Seja como for, não há como negar:
Sorocaba vai ganhar um hotel gay em breve.