15 de jan de 2008

Etiqueta, boas maneiras e outras veadagens...

Já foi dito que alguns dos ilustres membreos deste afamado blog deviam freqüentar um curso de boas maneiras. Já foi dito que a gente é grosso. Já foi dito que eu sou mal-educado. Bom, ccomo diria CBJR, etiqueta de cu é rola. Você não come minha mãe, não dá para o meu pai e não paga a minha conta no Caribe. Você, a sua mãe e a sua irmã não têm que dizer pra ninguém aqui como se comportar ou não. Aproveitando o embalo do "Momento Chupim" em que eu estou vivendo, vem aí a primeira parte do manual definitivo de etiqueta e boas maneiras para homens que são homens, devidamente copirateado do Buldozer.

Como ser um pedra, parte 1

Você gostaria de ser mais duro que um diamante? Mais resistente que aço carbono? Mais independente que um asteróide? Mais obstinado que o Estado de Israel? Mais burro que um homem-bomba?

Caso tenha respondido SIM para a maioria dessas questões, você está preparado para se tornar um PEDRA de primeira linha. Não vai ser fácil, pois em geral ser um PEDRA tem muito mais a ver com o dom natural para a coisa e a criação apropriada desde a infância. Exige a força de um cavalo e a cabeça de uma mula. Por sorte, eles são muitos em nossa população para servir de exemplo e, além disso, você tem agora esse manual prático para aprender a viver esse modo de vida peculiar.

O PEDRA, basicamente, é um cara tosco e ignorante, que vive sua vida como uma verdadeira rocha. Há PEDRAS em todos os lugares do planeta e é uma condição que nada tem a ver com grana, e sim com estilo. Há milionários que são completamente PEDRA, como o apresentador Ratinho.

Vamos listar algumas das características principais dos PEDRAS, e quanto mais delas você já tiver em sua personalidade, mais fácil será incorporar o estilo de vida dos caras. Só não venha reclamar depois, pois é duro ser PEDRA e a prática da coisa exige muita dedicação. Aliás, falando em prática, esse é o gancho para listar a primeira característica dos PEDRAS:

1) PEDRA ODEIA AULA
Pedra que é pedra não vai em aula nem faz curso de porra nenhuma. Aprende qualquer coisa, desde assentar tijolos até construir bombas atômicas, em duas etapas: primeiro, olha outra pessoa fazendo; depois, tenta fazer ele mesmo com base naquilo que viu e, no máximo, algumas dicas que recolheu com outros pedras. Não raro, a pessoa que ele assistiu fazendo “aprendeu” a tarefa da mesma forma. Dessa forma os pedras transmitem seu “saber” através das gerações, de pedrão para pedrinha, sem qualquer uso da escrita, mesmo em plena era da informação.

2) PEDRA ODEIA QUALQUER TIPO DE PROJETO OU PLANEJAMENTO
Pedra gosta de fazer as coisas com base em sua intuição. Da casa do cachorro até edifícios de apartamentos, ele não se sente bem seguindo projetos ou planejamentos, que em sua visão, tolhem sua liberdade de criar, pois ele já tem “de cabeça” tudo o que quer, do seu próprio jeito. Quando vai fazer sua casa, risca a “pranta” no chão e começa a cavar pra “fazê as fundação e levantá as parede”. Depois, quando fica uma merda, derruba a metade e gasta uma fortuna pra fazer tudo de novo, mas comemora ter economizado “um absurdo” com engenheiro e arquiteto. Quando muito, compra uma revista “100 Projetos” em banca de jornal, que tem um monte de “pranta pronta”. Com o orçamento familiar é a mesma coisa: ele recebe o salário e começa a gastar e “pagá os carnê”. Não usa calculadora e nem sabe o que é Excel. Se o dinheiro acaba antes do fim do mês - o mais comum – pede emprestado pra alguém, não paga depois, reclama que ganha pouco e bota a culpa no governo.

3) PEDRA ADORA GAMBIARRA
Os pedras, após muito utilizarem os métodos do ponto 1, consideram-se detentores de todo o conhecimento do universo. Na hora de fazerem qualquer coisa, desde reparos na rede elétrica da casa até reconstruírem o motor de um carro, em geral possuem duas opções: fazer um reparo correto, com profissionais habilitados, como mecânicos e eletricistas, utilizando os materiais adequados; ou fazerem uma improvisação por conta própria, com materiais usados, peças roubadas e parafusos e fios velhos que estavam guardados no quartinho dos fundos. Pois bem, um pedra que mereça o título vai SEMPRE escolher a segunda opção, mesmo que dê mais trabalho, saia mais caro ou seja absolutamente óbvio que aquele reparo malfeito não vai durar uma semana. Na verdade, não se trata de simples economia: o “faça-você-mesmo” é um verdadeiro ponto de doutrina dos pedras, seguido com um fervor quase que religioso.


4) PEDRA ADORA CIMENTO
Os últimos anos foram generosos com os pedras: o preço do cimento caiu pela metade, e assim eles puderam avançar em um de seus sonhos mais caros: impermeabilizar o mundo. Foi-se o tempo em que as famílias simples mantinham uma hortinha, bananeira ou galinheiro no quintal para dar uma turbinada na mesa da família. Hoje, a grande onda é cimentar tudo. Não interessa o tamanho do terreno que ele tenha, o pedra gasta o que for necessário para nivelar e cimentar tudo, deixando apenas uns buracos para implementar a medida decorrente do próximo ponto:

5) PEDRA ODEIA FLORA NATIVA
Sucupira, pau-ferro, cajueiros, mogno, pequizeiro, baobá centenário, seja lá o que for, para o pedra toda e qualquer vegetal que estiver em um terreno que ele comprou – ou invadiu, o que é mais comum – só merece um nome: mato. E mato deve ser derrubado. O cara paga uma nota para um operador de trator – ou suborna um tratoreiro da prefeitura – para derrubar tudo e nivelar o terreno. Após cimentar, planta sempre as mesmas três árvores, a tríade pedra: ficus, mangueira e abacateiro. Não interessa quanto terreno tiver.Certa vez, minha mãe comprou uma chácara de um pedra com dez mil metros quadrados. Haviam cinco abacateiros, mais de vinte mangueiras, e mais nada além de dois pequizeiros nativos que escaparam à sua fúria. Ela teve que plantar todo o resto, o cara tinha o terreno há mais de vinte anos e não tinha plantado qualquer outra coisa, e aposto que só não cimentou tudo porque a grana não deu.


6) PEDRA CHIFRA POR ESPORTE
Mesmo que, por algum milagre, um pedra descole uma namorada ou esposa bonita, gostosinha, gente fina e boa de cama, o cara vai atrás de alguém para chifrar a mulher. E não pense que ele se dá ao trabalho de, pelo menos, procurar uma mulher mais bonita e cheirosinha: baranga, puta de rua, traveco, ele não deixa de lado qualquer possibilidade de sexo, essa é a forma dele se sentir mais “homem”. Aliás, esse é o gancho para o próximo item:

7) PEDRA TREPA COM QUALQUER COISA E DE QUALQUER JEITO
Desde a primeira vez o pedra é ensinado pelo pai e pelos amigos a agir como se tivesse encontrado o pau no lixo. Sua iniciação sexual costuma ser com putas de beira de estrada, quando não com animais de fazenda das mais variadas espécies. Não raro, quando o pedrinha vai pra escola, faz gazeta (lembre-se, pedra odeia aula) para fazer troca-troca com os amiguinhos atrás do muro do cemitério. Todas essas experiências geram adultos absolutamente sem critérios quanto à escolha de seus parceiros sexuais, classificando qualquer tipo de recusa de barangas ou ojeriza a cus masculinos de “frescura” e, pasmem, “viadagem”. “Tá escolhendo muito, mano!”, essa é a frase padrão dos pedras. Curiosamente, ao treparem com homens não se consideram gays. Se você tenta explicar que viado é um cara que faz sexo com outro homem, ele retruca e nega o título de forma inflexível: “Eu só como, mano”. Alguns não consideram um travesti como um homem, e sim uma mulher com pica, e mandam brasa se sentido os maiores machões do universo.


8) PEDRA BEBE O MÁXIMO QUE AGUENTA, SEMPRE...
...e mais um pouco, que é para “ficar no grau”. Não importa se está na festa bodas de ouro de seu avô e de sua avó, na formatura do filho ou no aniversário de dois anos do netinho. Não importa se estiver em uma recepção onde só servem vinho francês e uísque 18 anos. O pedra SEMPRE bebe como se estivesse bebendo cachaça no boteco da esquina: uma dose atrás da outra e com um gole só. Enche a lata sem parar até ficar bêbado, começar a falar merda, puxar briga com alguém ou dar em cima da mulher dos outros. E quando tem carro, faz sempre questão de ser ele a dirigir depois.

9) PEDRA ADORA COISA USADA
Antes de ser uma imposição da falta de grana, pedra curte coisa usada por opção de vida, por visão de mundo. Se ele tiver mil reais para comprar uma TV, vai comprar uma usada que viu no jornal por novecentos e gastar os outros cem com feijoada e cerveja. Quando pifa um mês depois, adivinhem? Isso mesmo, amigos: faz uma gambiarra para ver se volta a funcionar, mesmo que cada personagem na tela vire dois e tudo o que for a zul passe a ser verde. Carro então é pior ainda: se ele tiver grana para comprar um Palio ou Celta zerados, ele vai preferir ir a uma dessas agências de veículos usados do mal e comprar uma Cherokee 95. Quando der defeito, já sabe: “foda-se essa merda de catalisador, tá fazendo barulho pra caralho e nem fudendo que vou pagar dois conto notro! Serra essa merda daí e solda um cano qualquer no lugar!”


Ainda não esgotamos o assunto, amigos. Vamos dividir esse post em partes, para nossos leitores pedra que detestam textos longos, dói as vista, né? Aguarde os próximos!

2 comentários:

bruno! disse...

hahaha...muito bom isso, Mario! O legal é que identifiquei muita coisa daí em muitos amigos meus...Todo mundo tem um pouco de Pedra...até algumas mulheres... ¬¬

Max disse...

Também vi vários amigos meus, principalmente na parte do planejamento e de gostar de coisa usada e feia...

E também alguns pontos me lembrou de algumas mulheres...